EX-SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO JOÃO BATISTA DOS MARES GUIA MINISTRA CAPACITAÇÃO DE EDUCADORES EM CARMO DO PARANAÍBA

EX-SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO JOÃO BATISTA DOS MARES GUIA MINISTRA CAPACITAÇÃO DE EDUCADORES EM CARMO DO PARANAÍBA

Esteve presente em Carmo do Paranaíba nesta terça feira (03/7) o sociólogo, educador e consultor em educação João Batista dos Mares Guia. Depois de ficar afastado da política por 20 anos agora é pré-candidato ao governo de Minas Gerais a convite da Rede de Sustentabilidade. João Batista dos Mares Guia entrou muito jovem no movimento estudantil e liderou grandes manifestações contra a ditadura. Foi Secretário de Estado de 1995 a 1998, durante este período, a educação básica em Minas Gerais alcançou o primeiro lugar nacional em qualidade do ensino e do aprendizado, segundo as avaliações bianuais nacionais coordenadas pelo Ministério da Educação.

Atualmente dedica-se com afinco à melhoria da educação pública. Especialmente tem participado de conferências e capacitações educacionais em várias regiões do estado, e explicado muito de como será a implantação da BNCC(Base Nacional Comum Curricular), documento que vai servir de referência para todas as escolas do país. A base será uma referência obrigatória, mas caberá aos estados e municípios a decisão sobre os currículos das redes de ensino, levando em conta as peculiaridades de cada região, Escolas públicas e particulares devem adotar novas referências para seus currículos até início do ano letivo de 2020. João Batista dos Mares Guia explicou aos mais de 400 educadores presentes na capacitação de Carmo do Paranaíba que a BNCC é “uma ideia ampla de educação que forma o indivíduo humano com noções de autonomia, responsabilidade, valores como confiança mútua, colaboração, cooperação, justiça, verdade, responsabilidade individual e social, tudo que se compõe a construção humana. Ao mesmo tempo trabalha o aprendizado específico em línguas portuguesa e inglesa, matemática e ciências da natureza onde grau de exigências hoje é maior do que sempre foi, ou seja, é preciso passar por uma fase de formação continuada de diretores, pedagogos e professores, enfim, todos tem que estudar muito, elaborar planejamentos semanais de aula, acompanhar o aprendizado dos alunos no dia a dia, semana a semana, Não mais medir o aprendizado em provas, mas em redações toda semana, cálculo matemático, resoluções de problemas, entre outros”.

A Base Nacional Comum Curricular é uma mudança muito profunda e bem vinda neste momento para a construção de uma base que responderá por 60% do currículo nacional obrigatório e vinculatório e os demais 40% cada rede de ensino municipal ou estadual terá liberdade de construir a sua própria proposta a partir de suas melhores práticas e experiências.

Fotos: Fábio Amaral